today777 jogo -A cerimônia de posse de Paulo Gonet no cargo de procurador-geral da República será realizada nesta s

Com Lula, Paultoday777 jogo -o Gonet assume a presidência

A cerimônia de posse de Paulo Gonet no cargo de procurador-geral da República será realizada nesta segunda-feira,today777 jogo - 18 de dezembro, às 10 horas, na sede da PGR, em Brasília.

Automaticamente, o novo procurador-geral da República também assume a presidência do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

A indicação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi aprovada para o cargo em 13 de dezembro pelo plenário do Senado Federal.

De perfil conservador, na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ), Gonet obteve 23 votos favoráveis, quatro contrários e nenhuma abstenção, e teve seu nome confirmado pelo plenário do Senado por 65 votos a 11.

Antes da indicação do presidente à PGR, a Coalizão em Defesa da Democracia, que reúne 49 entidades e movimentos populares – incluindo o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Grupo Prerrogativas, a Associação Juízes e Juízas para a Democracia, Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) e a Articulação dos Povos Indígenas (Apib) – enviou ao gabinete de Lula uma manifestação contra a indicação de Gonet para a PGR.

Neste ano, Gonet se manifestou pela condenação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que deixou o ex-presidente Jair Bolsonaro inelegível devido ao uso político das comemorações do 7 de setembro no ano passado, mas sua atuação durante as eleições de 2022 e mesmo em outros processos envolvendo Bolsonaro no TSE foi criticada pelas entidades.

Além disso, na manifestação encaminhada a Lula, a coalizão relembra os posicionamentos de Gonet quando ele participou julgamentos na Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos e votou contra o reconhecimento da responsabilidade do Estado em casos de grande repercussão, como o da morte da estilista Zuzu Angel; do estudante secundarista Edson Luís, assassinado em 1968; e dos expoentes da luta armada contra a ditadura, Carlos Marighella e Carlos Lamarca, mortos em 1969 e 1971.

Edição: Rodrigo Chagas

Relacionadas

  • MPF recupera e envia ao STF vídeo com conteúdo golpista apagado por Jair Bolsonaro; prova pode incriminar ex-presidente

  • Senado instala CPI da Braskem em meio a disputa entre Lira e Renan Calheiros

  • Lula usa julgamento do STF para vetar 20 artigos da lei que previa o marco temporal; ruralistas anunciam derrubada dos vetos no Congresso

Outras notícias

  • Após 40 adiamentos no CNMP, caso “powerpoint do Dallagnol” está perto de prescrever

  • Riachuelo é acusada pelo MP por usar terceirização para precarizar trabalhadores

  • As contradições de Raquel Dodge, a sucessora de Janot

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:


Todos os conteúdos de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato podem ser reproduzidos, desde que não sejam alterados e que se deem os devidos créditos.

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.sitemap